Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Curiosidades [Sensibilização e Projetos Sociais]
O Chefe da Casa Real Portuguesa, D. Duarte Pio, visitou a região

O Chefe da Casa Real Portuguesa, D. Duarte Pio, visitou a região, por ocasião da inauguração da Casa Real do distrito de Castelo Branco, no princípio deste ano. Durante um fim de semana, visitou vários locais de interesse na região. A BEM HAJA foi convidada a entrevistar sua alteza real e durante um dia, acompanhámos o seu percurso. Após uma manhã preenchida pela receção, feita pelo Executivo da Câmara Municipal de Castelo Branco, rumámos a Oleiros, onde a receção nos paços do concelho foi “digna de um Rei”. Uma recreação histórica a cargo da companhia de teatro Viv’arte acompanhada pela Filarmónica de Oleiros. Ainda em Oleiros visitou as obras de requalificação do Quartel dos Bombeiros Voluntários e a Igreja matriz, seguindo-se um lanche convívio no hotel de Santa Margarida.

Pelo caminho, entre “curva e contracurva”, enquanto D. Duarte presenciava o flagelo dos incêndios, conversámos bastante acerca de assuntos tão variados como os incêndios, a desertificação da região ou o dia a dia de D. Duarte e a sua Família.

D. Duarte contou-nos um pouco das suas atividades e do estilo de vida que faz. Ao contrário daquilo que a imprensa portuguesa faz questão de mostrar e nos fazer acreditar, D. Duarte tem uma vida ativa e realiza missões em países como Angola, Moçambique e Timor. O Duque de Bragança foi o presidente de uma campanha de apoio à independência de Timor-Leste e aos timorenses residentes em Portugal e noutros países. Conseguiu a construção de um bairro de quarenta casas para timorenses desalojados e enviou, ainda, ajudas para Timor-Leste no valor de várias centenas de milhares de euros. Foi esta relação com o povo timorense que lhe fez pedir e ser atribuída a nacionalidade timorense. A sua simpatia, disponibilidade e serenidade, permitiu-nos conversar bastante sobre aquilo que o preocupa na nossa região, nomeadamente acerca do problema do despovoamento e da forma como o sistema monárquico teria uma intervenção totalmente oposta ao sistema que vivemos atualmente. “O flagelo dos incêndios deve-se ao desequilíbrio no desenvolvimento do país, deixando ao abandono algumas regiões… A nossa pátria é muito mais importante que as divisões partidárias”, diz-nos.

O dia terminou com um jantar de apoio a D. Duarte, onde a BEM HAJA participou, juntamente com cerca de uma centena de pessoas, na sua grande maioria apoiantes da monarquia.

No dia seguinte, na Associação Amigos do Alcaide (Fundão), realizou-se uma palestra sob o tema “Os Franco Castelo Branco no contexto da política beirã (1850-1910).

Esta iniciativa foi organizada pela Real Associação da Beira Interior, cuja sua existência pretende ir ao encontro dos principais objetivos da Causa Real, procura ter uma voz ativa junto das populações, promovendo ações politico-culturais, das quais se destacam a realização de inúmeras palestras, sobre as mais diversas temáticas, pelos concelhos/freguesias da região. Ações que preconizam a valorização das suas raízes e da sua cultura, assim como a importância de as manter vivas na memória de um povo com uma história tão rica como o nosso. A Associação entende que é a preservação e valorização desta memória que nos diz quem fomos ontem, quem somos hoje e quem seremos amanhã.